Arquivos por Categoria: Legislativo em Foco

Vereadores pedem empréstimo de maquinário apreendido para ajudar cafeicultores em Alpinópolis

Máquina de beneficiar café apreendida pela polícia em Alpinópolis

Na reunião realizada na última segunda-feira (23), vereadores alpinopolenses decidiram que vão enviar um ofício ao Poder Judiciário da comarca contendo um pedido de autorização para que os produtores rurais de Alpinópolis tenham acesso, em forma de empréstimo, ao maquinário de beneficiamento de café apreendido na cidade em uma operação contra a fraude na limpeza dos grãos, que culminava no furto de várias sacas por uma quadrilha especializada. As investigações apontaram que o equipamento chegava a desviar cerca de 10% dos grãos limpos.

Câmara de Alpinópolis interpela vereador sobre reforma do prédio

Câmara-Municipa2

Aprovada pelos vereadores em 20 de dezembro de 2017, a Lei Municipal nº. 2.160/2017 estimou a receita e fixou as despesas para o exercício fiscal de 2018 do município de Alpinópolis. Incluída na lei estava a destinação para as despesas da Câmara Municipal (CMA), cuja reforma tem suscitado críticas de alguns vereadores.

No dia 10 de janeiro deste ano, o vereador Joaquim Reis Pereira da Silveira, o Quinca do Tião Roberto (PTB), concedeu entrevista à Rádio Vida, de Passos, tecendo críticas aos gastos da Câmara com a reforma de seu prédio. Por se sentir lesada, a mesa diretora da Casa entrou com uma interpelação, em busca de esclarecimentos sobre alguns pontos levantados durante a citada entrevista do edil.

Câmara de Alpinópolis devolve mais de R$ 428 mil à prefeitura

Câmara-Municipa2

O presidente da Câmara de Alpinópolis, vereador José Acácio Vilela (PSDB), irá devolver à Prefeitura de Municipal, ainda este ano, R$ 428.551,20 referentes às sobras do valor repassado pelo Executivo ao Legislativo no decorrer do ano. Esse recurso, chamado duodécimo, é um repasse mensal obrigatório previsto na Constituição da República. Câmaras de municípios do porte de Alpinópolis, que possuem população de até 100 mil habitantes, recebem uma quantia correspondente a 7% da receita orçamentária municipal para a manutenção das atividades legislativas locais e, ao fim no ano fiscal, caso haja sobras, essas voltam para os cofres da prefeitura.