Ruas de novo bairro de Alpinópolis recebem nomes de alpinopolenses ilustres

A Câmara de Alpinópolis aprovou, na noite desta segunda-feira (04), um projeto de lei que dá nomes de ilustres cidadãos alpinopolenses aos logradouros do loteamento Alto da Serra, novo bairro do município que se encontra em fase de conclusão. O local, que vem chamando a atenção da população por conta da localização – fica em evidência no corpo de uma das principais serras da cidade – e vista privilegiada que proporciona, conta com 11 ruas e uma avenida.

O projeto foi uma iniciativa dos vereadores Rafael Freire (Avante), Mauro Celso de Souza Santos, o Mauro da Ração (PL), da presidente Sandra Aparecida Carvalho Nascimento, a Sandra do Nequinha (MDB) e da ex-vereadora Sandra Mara Morais da Silveira Borges, a Sandra do Joaquim Itamar (PSDB). A proposição recebeu parecer favorável de todos os parlamentares e várias pessoas, entre parentes, amigos e admiradores dos homenageados, estiveram presentes no auditório da Casa.

Os logradouros receberão os seguintes nomes: Rua Professor Isaac Nicolau Salum, Rua Lourenço Cândido da Silveira, Rua Manoel Hipólito de Souza, Rua Antônio de Oliveira Lemos, Rua Mariana Borges da Conceição, Rua Marcelo Augusto de Melo, Rua Edgard Rodrigues de Carvalho, Rua Francisco de Paula Moreira (Chiquito Moreira), Rua Coronel Silvestre Gomes de Lima, Rua João Magela de Oliveira (João Balaio) e Rua Florêncio Justiniano dos Reis. A via principal levará o nome de Avenida Antônia de Oliveira da Silveira.

A proposta foi aprovada por unanimidade e agora segue para sanção do prefeito José Gabriel dos Santos Filho, o Zé da Loja (PSD). Na justificativa do projeto os vereadores proponentes destacaram que os homenageados foram escolhidos em função de suas contribuições dadas ao município, seja no sentido meramente humano ou por meio de seus méritos que elevaram o nome de Alpinópolis.

Em dado momento, os parlamentares fizeram menção a autores de pesquisas que vêm contribuindo na atualidade para a preservação da memória municipal, em especial Juliano Pereira de Souza, cabo da PMMG e pesquisador, e José Gonçalves de Lima, aposentado e coautor de um livro sobre a vida de Silvestre de Lima. Ambos fizeram uso da palavra na tribuna da Casa e destacaram a importância de eternizar o nome dessas personalidades em logradouros da cidade. “Segundo a cultura mexicana existem três fases para a morte: a primeira acontece quando os órgãos vitais cessam as atividades. A segunda se dá no momento em que a pessoa é sepultada e a terceira quando o nome do falecido é falado pela última vez, somente aí a morte estará completa”, ressaltou o militar.

Durante a reunião também foi levantada a hipótese de se elaborar um projeto para resgatar os aspectos históricos locais no âmbito das escolas do município, direcionando o ensino para a cultura alpinopolense. A proposta agradou os vereadores que se dispuseram a leva-la em diante.

Leave a Reply