Veículo é incendiado no centro de Alpinópolis

belina_incendio_alpinópolisUm incêndio, possivelmente criminoso, consumiu um veículo Ford Belina na madrugada do último domingo (05) no centro da cidade de Alpinópolis. O carro estava estacionado em um terreno situado na Rua Major João Gonçalves, nas proximidades da Praça Osvaldo Américo dos Reis.

Prefeitura pretende conceder serviços de esgoto à COPASA e valor da conta poderá aumentar 90%

alpinópolisFoi aprovado no final do mês de junho, pela Câmara Municipal de Alpinópolis, um projeto de lei de autoria do prefeito Júlio César Bueno da Silva, o Júlio Batatinha (PTB) autorizando o município a celebrar convênio de cooperação com o Estado de Minas Gerais. Ao que tudo indica, o objetivo é conceder os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário à Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA).

Quem se lembra do Musilanche?

Fachada do Musilanche

 

♪ By the rivers of Babylon… there we sat down… ♬

♫  Ye-eah we wept… when we remembered Zion… ♩

Quem tem entre 25 e 45 anos de idade, com certeza, sempre que escuta esse trecho da canção “Rivers of Babylon” da banda Boney M, aperta os olhos recordando com doída saudade uma das mais emblemáticas casas noturnas alpinopolenses: o Musilanche.

Ex-prefeito Batatinha é condenado a devolver R$ 23 mil aos cofres municipais

batataO juiz da Vara Única da Comarca de Alpinópolis. Dr. César Rodrigo Iotti, julgou procedente a ação civil pública interposta pelo Ministério Público Estadual que pedia que o ex-prefeito do município, José Vicente da Silva, o Batatinha (PTB), fosse condenado pela prática de atos de improbidade administrativa e devolvesse dinheiro aos cofres da Prefeitura Municipal. O julgamento é relativo ao processo nº 0375262-71.2009.8.13.0019 e cabe recurso da sentença.

JOSÉ IGLAIR LOPES

jose_iglair_lopes_alpinopolisJosé Iglair Lopes nasceu em Alpinópolis em 1° de julho de 1935, sendo filho do comerciante Geraldo Ferreira Lopes e de D. Zenaide Gonçalves Kraüss Lopes, e primogênito de sete irmãos. Em 07 de janeiro de 1958, casou-se com D. Nara Gonçalves Clatt Lopes, tornando-se pai de quatro filhos. Fez seus estudos na cidade natal, no Ginásio Paraisense, em São Sebastião do Paraíso, na Escola Agrotécnica de Muzambinho, sem, contudo, ter cursado uma faculdade. Vicentino, em sua gestão na presidência do conselho, construiu a Capela de São Vicente. Estudioso da Bíblia e da historia das religiões, foi o idealizador do “Monte das Oliveiras”, espaço religioso ecumênico, cultural e de atração turística da cidade. Autodidata, investigou a história municipal, condensando as conclusões na obra “História de Alpinópolis nos séculos XVIII, XIX e XX”.

Deivid Tattoo – Ventania faz arte na pele

deivid_tattooA tatuagem está entre as formas de arte mais antigas e onipresentes na humanidade. Por mais de cinco mil anos, culturas de todos os continentes habitáveis colocaram tintas permanentes em seus corpos, como defesas místicas, símbolos de status, ritos de passagem ou simplesmente como decoração pessoal.

Foi-se o tempo em que tatuagem era coisa de bandido. Hoje em dia, ter uma bela e bem desenhada tattoo é um indicativo de estilo. É uma escolha muito pessoal, porém ainda hoje há preconceito com pessoas que tem o corpo desenhado. Fazer uma tattoo é uma modificação corporal, assim como furar as orelhas ou mudar a cor do cabelo, coisas que muitos críticos da tatuagem fazem.

Assaltantes levam dinheiro de pagamento de trabalhadores rurais em Alpinópolis

trabalhador_café_tribunaalpinaIndivíduos armados assaltaram a fazenda Monte Alto, em Alpinópolis, na tarde da última sexta-feira (19), no momento em que os proprietários faziam o pagamento dos funcionários que trabalharam na colheita de café. Todo o dinheiro foi roubado por quatro elementos que, segundo dados da Polícia Militar, chegaram até à propriedade rural em um Honda Civic cinza com vidros escurecidos. Dois deles desceram do veículo, portando armas de fogo, e anunciaram o assalto.

Assassinos do casal de idosos são capturados pela Polícia Civil de Alpinópolis

crime idososCerca de 24h depois do início das investigações a Polícia Civil de Alpinópolis, sob o comando do delegado Giovani Bedoni, esclareceu o crime e prendeu, na manhã desta sexta-feira (19), um homem de 27 anos e apreendeu um menor de 16, ambos naturais do estado da Bahia, pela autoria do assassinato do casal de idosos na zona rural do município, crime que chocou toda a comunidade alpinopolense.

Reunião da Câmara de Vereadores – 15/06/2015

 

legislativo em focoApós a chamada nominal, o secretário da Mesa Diretora constatou a presença de nove vereadores e o presidente, por haver quorum, abriu oficialmente a sessão às 18h:30min.

Logo após, a ata da reunião anterior foi lida, colocada em discussão e aprovada.

INDICAÇÕES

José Acácio:

- Solicitou ao Executivo que promova implantação de quebra-molas na Rua Dona Indá.

José Antônio:

- Pediu colocação de poste na Rua São Paulo e quebra-molas na Rua Nicolau Sarno

 

Poluição da Gruta provoca protestos de moradores em Alpinópolis

GrutaMembros da Comunidade Católica de Alpinópolis e ao mesmo tempo defensores do meio ambiente continuam indignados com a atual administração, porque a julgam como a culpada pela poluição de uma gruta localizada na periferia da zona urbana, próximo à saída para Bom Jesus da Penha. “Lá tem uma cachoeira muito apreciada por toda a população. É um local sagrado para os católicos da cidade. Até já ocorreu aparição da imagem uma santa lá. Há tempos, nela passou a ser despejado esgoto, o problema continua grave e a queda d’água se tornou um verdadeiro desaguadouro de dejetos. O problema surgiu depois que começou uma obra da rede de esgoto na cidade. Toda a sujeira foi desviada para lá. O mau cheiro é insuportável, e afastou fiéis e banhistas do local. Poucas cidades, como Alpinópolis, têm o privilégio de ter uma cachoeira quase que dentro da zona urbana. Parece que a prefeitura não se importa nem um pouco com o meio ambiente da cidade e joga parte do esgoto nela. Os fiéis que iam rezar na gruta pararam de frequentá-la. É um absurdo isso que continua ocorrendo. Um descaso com os religiosos, a população em geral e os visitantes. Em outubro de 2014 alguns membros da comunidade redigiram um e-mail que foi enviado a esse renomado jornal, que nos atendeu e publicou nossa justa reclamação. Só que, depois de mais sete meses, absolutamente nada foi feito e o problema continua causando todos os transtornos já mencionados”, disparou o reclamante.