Prefeitura de Alpinópolis é acusada de cometer crime ambiental

Intervenção feita em Área de Preservação Permanente pela Prefeitura de Alpinópolis foi alvo de denúncia.

Intervenção feita em Área de Preservação Permanente (APP) pela Prefeitura Municipal de Alpinópolis foi objeto de denúncia.

A Polícia Militar do Meio Ambiente registrou, no início do mês de julho, uma denuncia de suposto crime ambiental cometido pela Prefeitura Municipal de Alpinópolis e pelo produtor rural José Segundo da Costa, proprietário do sítio Morro Cavado, localizado na zona rural de Alpinópolis. De acordo com o Boletim de Ocorrências uma APP (Área de Preservação Permanente) sofreu intervenção irregular pelas máquinas da Prefeitura de Alpinópolis, a pedido do dono das terras, suprimindo vegetação rasteira nativa e árvores frutíferas.

História do abastecimento de água em Alpinópolis

Antiga Caixa D'Água de Alpinópolis, localizada no bairro Rosário. Foto: Alexandre Cardoso

Antiga Caixa D’Água de Alpinópolis localizada no bairro Rosário.
Foto: Alexandre Cardoso

Na atualidade a cidade de Alpinópolis conta com, praticamente, 100% dos domicílios e pontos comerciais/industriais abastecidos por água encanada. De acordo com o Sistema de Informação da Atenção Básica do Ministério da Saúde (SIAB) 83,9% da população alpinopolense é servida pela rede pública de abastecimento (cerca de 4798 famílias), 16% por poço ou nascente (cerca de 915 famílias, a grande maioria residente na zona rural) e 0,1% por outras fontes (cerca de três famílias). O município firmou convênio com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), no ano de 1982, logo após o prefeito Osvaldo Américo dos Reis sancionar a Lei nº 884 de 23 de março de 1982 que concedeu à autarquia a exploração do atendimento de abastecimento urbano de água. A implantação definitiva dos serviços se deu no mandato seguinte, quando Alberto Gonçalves Freire chefiava o Executivo Municipal, e o município passou a ser de fato atendido pela concessionária. O antigo sonho de trazer a água tratada para Alpinópolis foi então realizado.

Ventania e as eleições em tempos de redes sociais

EDITORIALA interferência do mundo virtual na vida política é algo que não se pode mais negar. Depois que protestos organizados pelas redes sociais levaram os brasileiros às ruas no ano passado para exigir serviços públicos “padrão FIFA” do governo, os políticos mais astutos se viram obrigados a rever suas estratégias de comunicação na internet. O que não falta é candidato criando página oficial, turbinando suas redes sociais e até contratando assessores de comunicação para alinhar suas investidas à linguagem dos internautas. Às vésperas de uma campanha eleitoral, atingir o público de forma massiva, interativa e eficiente é fundamental.

A ARTE DE JOÃO CARLOS CAPOONI

perninha_tribuna_bancaEm um diálogo travado entre duas crianças, uma pergunta à outra:

 - O que faz seu pai?

A garotinha, filha de um artesão que expunha seus trabalhos na rua, responde orgulhosa:

 - Esculpe, pinta, desenha…

                                          E a primeira imediatamente retruca:

                                            - E ele não trabalha?

                                                              ( …)

Isso pode parecer cômico, porém, é mais normal do que se possa imaginar. É fruto da ausência de informação e de cultura e a culpada não é a criança desinformada e sim o sistema, algo cultivado na sociedade consumista moderna.

BISPO DOM MESSIAS LANÇA SEU LIVRO EM ALPINÓPOLIS

capa 1Aconteceu no dia 18 de julho de 2014, em solene cerimônia realizada no Teatro São Paulo, o lançamento do livro escrito pelo “quase conterrâneo” Dom Messias dos Reis Silveira, bispo da Diocese de Uruaçu-GO. A obra, denominada “Superar a dor do luto”, foi publicado pela Paulinas Editora e traz em seu enredo a clara finalidade de auxiliar no conforto das pessoas que sofrem por estarem vivenciando o sentimento do luto assim como oferecer suporte aos que desejam ajudar os enlutados. É composto por trinta meditações a partir da Bíblia, as quais são concluídas com um diálogo amoroso com Deus que se prolongam por meio de perguntas que ajudam o leitor a aprofundar no mistério da vida e da divindade. A solenidade contou com as presenças dos padres Ailton Rosa e José Neres, do diácono Dimas Ferreira Lopes, de seminaristas, religiosas, escritores, autoridades civis e leigos.

O desembargador alpinopolense Ranulfo de Melo Freire

desembargador ranulfo de melo freire

Aos 04/04/1924, nasce em Alpinópolis, Ranulfo de Melo Freire, filho de José Gonçalves Freire e de Valéria Pimenta de Melo, tradicionais famílias da cidade e região. Este alpinopolense descreverá um exemplar trajeto profissional, fruto de sua persistência e inteligência. Cursou a Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais, formando-se em 1951, e, no período de 1949 a 1950 foi presidente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais, integrando a União Nacional dos Estudantes. A vocação política do jovem estudante, no entanto, prosseguiu com o irmão, o deputado Joaquim de Melo Freire, natural de Passos-MG.

ALPINÓPOLIS SE DESPEDE DE PADRE JOSÉ NERES

padre_jose_neres_tribunaA comunidade católica alpinopolense despede-se de um dos sacerdotes mais populares que já passaram pela cidade: o Padre José Neres Lara. Depois de mais de sete anos dedicados à Paróquia de São Sebastião, o religioso nela celebrou sua última missa no dia 20 de julho e o seu derradeiro compromisso foi uma participação no Terço dos Homens, no dia 21. Seu próximo destino é a cidade de Passos, onde assumirá a Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, no dia 6 de agosto.

Mais de mil propriedades rurais em Alpinópolis deverão ser cadastradas

carRecentemente foi publicada a Instrução Normativa 2/2014 do Ministério do Meio Ambiente que estipula o prazo de um ano para a vigência do Cadastro Ambiental Rural (CAR), bem como o funcionamento do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR).

Prefeito Antônio de Freitas, um homem além de seu tempo

Em 31 de janeiro deste ano de 2014, completaram-se 37 anos do encerramento de umas das gestões mais polêmicas, porém das mais eficientemente acertadas, que Alpinópolis já viu. Foi quando findou-se o mandato de Antônio José de Freitas, o 16º prefeito alpinopolense, empossado em 31/01/1973 depois de vencer com uma diferença de 507 votos o pleito de 15 de novembro de 1972, disputado contra José Freire Gonçalves.

Freitas em seu gabinete

A atuação de Antônio de Freitas frente ao executivo municipal vem oportunamente ser aqui analisada por um simples fato: fez-se em sua gestão exatamente o deveria ser feito. Sem medo de represálias, sem jogos politiqueiros e sem o desprezível clientelismo, as ações foram executadas de maneira sóbria e sob austero planejamento, algo que precisava urgentemente acontecer novamente na prefeitura de Alpinópolis.

Homem é baleado por adolescente em Alpinópolis

Prédio da Cadeia Pública de Alpinópolis

Suspeito foi apreendido e está sob custódia da Polícia Civil

Mais um crime violento foi registrado na madrugada deste domingo (20) em Alpinópolis. Desta vez um homem foi baleado por um adolescente na Praça São Miguel (Pracinha do Cemitério), no bairro São Benedito. Segundo relato da própria vítima o menor D.F.M., de 17 anos, efetuou dois disparos de arma de fogo contra seu corpo, acertando um no rosto e outro no abdômen. O homem foi socorrido e imediatamente levado para a Santa Casa de Misericórdia de Passos, onde recebeu atendimento e permanece internado.