Tag Archives: saúde

Trabalhadores tem dificuldade em atendimento de saúde em Alpinópolis

trabalhador_extração_pedra_alpinópolisOs trabalhadores da extração mineral, na região de Alpinópolis, vêm enfrentando problemas no acesso ao atendimento de saúde especializada. Só no município 53 pessoas estão diagnosticadas com silicose, principal doença causada por conta da extração mineral. Além disso, outros problemas atingem os trabalhadores, como a perda de audição, problemas de coluna e nos ombros.

Um alpinopolense no Ministério da Saúde

tezinho_ministeriosaude

José Rodrigues Freire Filho, o Tezinho, provavelmente é o alpinopolense com maior e mais aprofundado conhecimento em gestão pública na área da saúde que já atuou em nossa cidade. Trabalhou no Departamento de Saúde da Prefeitura de Alpinópolis entre os anos de 2005 e 2013 e, atualmente, ocupa o cargo de consultor técnico no Ministério da Saúde, atuando dentro do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES), setor responsável pela definição e desenvolvimento de políticas relacionadas à formação de pessoal da saúde, tanto no nível superior como no nível técnico-profissional.

Em Alpinópolis há uma “política para a saúde” ou uma “política com a saúde”?

EDITORIALEm agosto comemorou-se o Dia Nacional da Saúde. Mas será que no Brasil, e notadamente aqui pelas bandas da cidade dos ventos, teríamos motivos para comemorar? A realidade do cidadão, que paga altíssimos impostos para receber um serviço de qualidade, nos diz que não. E não é por falta de dinheiro, pois basta uma rápida olhadela na Lei Orçamentária do Município de Alpinópolis para ver que há uma previsão de gastos de quase R$ 11 milhões para o setor em 2014. É para essa pasta que está destinado o maior montante de recursos dentro da Prefeitura de Alpinópolis, quase 30% de tudo que entra nos cofres públicos daqui. Então fica fácil perceber que o sistema de saúde no município carece mais de eficiência do que de verbas, ou seja, o problema tem mais a ver com desorganização, ineficiência e politicagem do que com falta de dinheiro. É triste encarar a realidade de que por aqui, como em muitas outras cidades brasileiras, existe uma “política com a saúde” e não uma “política para a saúde”.