Segundo IBGE, Alpinópolis tem um dos piores PIB per capita da região

Alpinópolis completa 77 anos de emancipação em 2015

A base de dados disponibilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no final de 2017, que mostra a evolução do PIB per capita dos municípios brasileiros, coloca Alpinópolis em posição desfavorável neste quesito em relação à maioria das 21 cidades do Sudoeste de Minas. De acordo com os números, o índice alpinopolense só não é pior do que os registrados em São Tomás de Aquino, Guapé, Capetinga e Jacuí.

Segundo o IBGE, Alpinópolis apresentou um PIB per capita de R$ 15.388,39 para o ano de 2015, último período levantado. O resultado apontou que o município tem um dos piores índices da região, deixando-o na 17ª colocação, a frente apenas de São Tomás de Aquino (R$ 14.436,62), Guapé (R$ 13.752,60), Capetinga (R$ 13.202,28) e Jacuí (R$ 12.217,96). O PIB per capita é a relação do montante das riquezas produzidas no município dividido pelo número de habitantes.

Alpinópolis, em comparação com as demais cidades de Minas Gerais, encontra-se na 292ª posição entre os 853 municípios do estado. Já comparada com cidades de todo o Brasil, sua colocação é a 2.649ª num universo de 5.570 municípios.

No quesito trabalho e rendimento, os mais recentes números mostram que o ganho médio mensal em Alpinópolis é de 1,8 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas, com carteira assinada, em relação à população total é de apenas 13,5%. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, Alpinópolis tem cerca de 1/3 da população nessa condição sendo, portanto, considerada uma cidade pobre.

Os demais municípios da região apresentaram resultados melhores que Alpinópolis e são, na sequência, Pratápolis (R$ 15.549,87), São Pedro da União (R$ 15.850,20), Cássia (R$ 16.016,58), Nova Resende (R$ 16.717,37), São João Batista do Glória (R$ 16.783,49), Carmo do Rio Claro (R$ 17.229,65), Conceição da Aparecida (R$ 17.526,46), Delfinópolis (R$ 18.434,95), Passos (R$ 19.032,84), São Roque de Minas (R$ 20.195,44), Bom Jesus da Penha (R$ 21.369,69), Fortaleza de Minas (R$ 21.542,00), Capitólio (R$ 21.822,84), São Sebastião do Paraíso (R$ 23.730,09), Itaú de Minas (R$ 32.114,34) e São José da Barra (R$ 50.085,93).

Deixe uma resposta