Reunião discute segurança pública em Alpinópolis

Nesta segunda-feira (20) aconteceu uma reunião, convocada pelo Poder Judiciário, entre autoridades municipais e membros de entidades representativas do município para discussão do problema de segurança pública na comunidade.

Reunião foi realizada no prédio do Fórum Lázaro Brasileiro

O novo juiz da Comarca, Dr. César Rodrigo Iotti, abriu o encontro que objetivou discutir esse polêmico tema em voga na cidade. Em virtude de fazer parte da mesma Comarca, autoridades da cidade vizinha de São José Barra também estiveram presentes.

A reunião, que aconteceu às 13h30min no salão do Tribunal do Júri do Fórum Dr. Lázaro Brasileiro, teve como objetivo, com já mencionado, buscar ações urgentes que ataquem o problema, tanto por parte das autoridades constituídas como da sociedade civil. A reunião contou com a presença dos prefeitos de Alpinópolis e São José da Barra, Julio Batatinha (PTB) e João Passos (PR) respectivamente, do promotor Alan Carrijo Ramos, do comandante da PM em Alpinópolis tenente Rafael, da presidente da Câmara dos Vereadores Sandra do Nequinha (PSD), do delegado Carlos Geovani Bedone, do delegado regional Paulo Queiroz, da presidente do Conselho de Segurança Pública de Alpinópolis – Consep Luzia Pimenta, do presidente do Sindicato Rural de Alpinópolis Sebastião Sandre Ângelo, do presidente do sindicato dos extratores de pedra Jorge Penha, dos representantes da OAB Caliandro Bonifácio e Izabel Paim, além de vários componentes das polícias militar e civil, comerciantes e empresários alpinopolenses.

Autoridades reunidas no salão do juri do fórum local

O tema central da reunião foi voltado para assuntos relativos à segurança reparadora e gravitou em torno da reforma da cadeia pública de Alpinópolis. Segundo declarações, há um problema sério de infraestrutura do prédio que permite aos encarcerados terem acesso a drogas e telefones celulares, o que acarreta uma série de contratempos, inclusive o controle de ações criminosas partindo de dentro da cadeia. De acordo com as informações das autoridades competentes, a possibilidade fugas e rebeliões é constante.

Após o grupo discorrer sobre um possível valor para a realização da reforma do prédio, chegou-se a uma cifra de R$ 60 mil. Tiveram início então as sugestões de prováveis fontes financiadoras para a concretização da ação e foram colocadas como alternativas a busca de recursos junto ao estado de Minas Gerais e também a articulação entre as duas cidades participantes, envolvendo poder público e iniciativa privada, para o financiamento da obra.

Descartada a primeira opção, ficou acordado entre os presentes que os recursos seriam buscados nas próprias cidades envolvidas e rateados entre as prefeituras, comerciantes e empresários. Para que as obras possam ter início imediato, e haja condição de reforçar a segurança do prédio, o promotor Dr. Alan disponibilizou um saldo de aproximadamente R$ 10 mil (fruto de pagamento de multas de várias modalidades) para que se proceda à instalação de um sistema de câmeras e colocação de concertina visando impedir entrada de objetos e materiais inadequados ao local assim como dificultar qualquer tentativa de fuga. Os R$ 60 mil, visando as intervenções na infraestrutura física do local, serão divididos da seguinte forma:

  • Prefeitura Municipal de Alpinópolis – R$ 15 mil (havendo o prefeito se comprometido a aumentar o montante caso haja necessidade e disponibilidade financeira)
  • Prefeitura Municipal de São José da Barra – R$ 20 mil
  • Empresários e comerciantes arrecadarão o restante

Deixe uma resposta