Prefeita de Carmo do Rio Claro tem mandato cassado

Cida Vilela

A prefeita de Carmo do Rio Claro, Maria Aparecida Vilela (PR) teve seu mandato cassado na tarde desta quarta-feira (22) pela Justiça Eleitoral. O juiz Fabiano Teixeira Perlato determinou, além da cassação, a diplomação do segundo candidato mais votado nas últimas eleições municipais, Nicolau Achcar Santos Júnior, o Juninho Nicolau (PT). Na sentença, o magistrado estabeleceu ainda que Cida Vilela fique inelegível por oito anos.

Juninho Nicolau

Em face de uma denúncia, oriunda de uma representação que acusava a prefeita de abuso promocional por praticar divulgação e propaganda institucional de forma irregular, através da assessoria de comunicação da Prefeitura de Carmo do Rio Claro, o Ministério Público Eleitoral ajuizou contra Cida Vilela uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral. O ato resultou na cassação da chefe do Poder Executivo carmelitano assim como de seu vice, Sebastião César Lemos. Cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral.

Fragmento da sentença do juiz Fabiano Perlato

MAIS ACUSAÇÕES

O MP ainda aponta que a prefeita cometeu outras irregularidades como promoção por distribuição gratuita de alimentos e kits de material esportivo e abuso de poder por uso ilícito do saldo do Fundo de Aposentadoria e Pensão  dos Servidores Municipais de Carmo do Rio Claro – FAPEM.

O QUE DIZ A PREFEITA

De acordo com as declarações da assessoria jurídica de Cida Vilela, por sua natureza o caso deveria ser julgado na justiça comum e não na eleitoral como foi feito, pois trata de assunto de improbidade administrativa. Em relação às acusações de promoção irregular, a defesa descarrega toda a culpa na assessoria de imprensa da Prefeitura de Carmo do Rio Claro que teria veiculado as imagens consideradas ilícitas por conta própria e sem autorização direta da prefeita.




SOBRE OS COMENTÁRIOS

Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.



Importante: Os editores não farão aviso prévio em relação a exclusão ou não aprovação de comentários.

 

7 Responses to Prefeita de Carmo do Rio Claro tem mandato cassado

  1. Rovilson disse:

    Quem será o próximo???? Julio Batatinhaaaaaaaaaa

  2. adriana disse:

    A COISA TA FEIA Q FOR D FAMILI 14 FLT POUCO PRA DESMAMAR D PREFEITURA,FORA BATATADA,VCS Ñ VÃO TER VEZ AQ Ñ RSRSRSRSRSRS

  3. Divina disse:

    Pelo andar da carruagem, começa a se concretizar os ideais da Declaração de Independência americana, escrita por Franklin, Jefferson e John Adans, em 4 de julho de 1776:

    “Consideramos como incontáveis e evidentes as verdade seguintes: que todos os homens foram criados iguais e que foram dotados pelo criador de certos direitos inalienáveis; que entre esses direitos estão a vida, a liberdade e a busca pela felicidade; que para assegurar esses direitos, forma estabelecidos entre os homens os governos e que eles tiram a sua justa autoridade do consentimento daqueles que são governados; que quando um governo não tende para esses fins, o povo está no direito de mudá-lo, a aboli-lo e de estabelecer um novo, fundado nos princípios que lhes parecem mais convenientes à sua segurança e a sua felicidade”.

  4. Pati disse:

    Não vejo a hora dos compradores de votos e os fora da lei serem cassados!

  5. Marco disse:

    Não é de agora que a política de Carmo do Rio Claro – MG está vergonhosa. Podem ter certeza que tem muito mais, basta fazer uma auditoria na prefeitura.

  6. Marcelo Barroso disse:

    MANDATO DA PREFEITA MARIA APARECIDA VILELA É CASSADO PELA CÂMARA DE VEREADORES

    Nesta madrugada do dia 15, a Prefeita Maria Aparecida Vilela teve seu
    mandato cassado pela Câmara Municipal.

    DA SESSÃO PLENÁRIA

    Marcada para começar ao meio dia dessa sexta-feira dia 14 de junho, a
    sessão de julgamento da Prefeita Cida Vilela começou com horas de
    atraso. Com um plenário repleto, em sua maioria, por cargos de
    confiança e familiares da Prefeita, os Vereadores iniciaram os
    trabalhos com a leitura integral do processo que continha mais de 750
    páginas , algo que se estendeu por mais de 7 horas.
    Ao final da leitura, cada Vereador pode se pronunciar por até 15
    minutos,e depois foi a vez da defesa, que se manifestou pelas 2 horas
    a que tinha direito.
    Primeiro a fazer a defesa da Prefeita foi seu advogado. Alegando
    nulidades no processo e falhas na sua condução, solicitou aos
    Vereadores o arquivamento do processo ou a absolvição da denunciada.
    Por último falou a própria Cida Vilela defendendo seus atos, em meio a
    apelos sobre sua familiares e sua trajetória política.

    DA CASSAÇÃO DA PREFEITA

    Já era madrugada de sábado quando os Vereadores iniciaram a votação
    para decidir o destino da Prefeita de Carmo do Rio Claro.
    A comissão processante havia apresentado 4 questões para serem votados
    pelos Vereadores da Câmara. Em dois deles a maioria dos membros da CP
    pediu a cassação do mandato da Prefeita.
    Acompanhando o parecer final da Comissão Processante, votaram pela
    cassação os Vereadores João Carlos, Wilber Moura, Zé Pequeno, Lucas
    Carielo, Juliano Pão de Queijo e Marcos das 3 Barras.
    Mesmo pesando sobre a Prefeita a acusação de prática de atos ilegais
    que contrariaram a legislação e decisão judicial e questionamento
    sobre contratação de parecer jurídico de 400 mil reais, a base aliada
    permaneceu firma em sua defesa.
    A denúncia de utilização dos mais de 6 milhões de reais do extinto
    FAPEM não foi suficiente para convencer 3 dos 9 Vereadores. Apenas os
    Vereadores que compuseram a coligação que apoiou a reeleição de Cida
    Vilela votaram a seu favor. Os Vereadores Luiz do Piso do PR, partido
    da Prefeita, Selminho que é irmão do advogado da prefeita e Carlos
    Henrique Vilela irmão da própria Prefeita, votaram contra a cassação.