Polêmica sobre nome de estádio municipal de Alpinópolis é debatida na Câmara

Na reunião da Câmara de Alpinópolis realizada na última segunda-feira (24) os vereadores votaram e aprovaram dois projetos de lei e deliberaram sobre diversos assuntos de interesse local, entre eles a questão do término da pavimentação da BR-265, rodovia que corta o território municipal e ainda apresenta trechos inconclusos. Uma das propostas aprovadas diz respeito à denominação do estádio de futebol do município, assunto que recentemente levantou polêmica na cidade, e outra que alterou o quadro de entidades representativas componentes do Conselho Municipal do Idoso.

Durante os pronunciamentos o vereador Guilherme Lima (PSD) falou sobre o início de um campeonato de baralho, a ser realizado pela prefeitura, e apoiou a iniciativa do vereador Mauro da Ração (PR), que apresentou um requerimento na reunião anterior, cuja finalidade é promover uma audiência pública em Alpinópolis para tratar da questão da conclusão da BR-265, que ainda conta com trechos sem pavimentação na zona rural do município. O presidente José Acácio Vilela (PSDB) esclareceu que o citado requerimento foi deferido e disse que considera importante esse encontro com representantes políticos e técnicos do DNIT para debater o caso da rodovia, mas que julga não ser o momento oportuno, já que a época coincide com as vésperas do primeiro turno das eleições e o evento poderia ganhar conotação eleitoreira. O vereador Rafael Freire (Avante) lamentou que a iniciativa tenha partido da câmara, uma vez que tal audiência, por sua natureza, deveria ter sido proposta pelo Executivo. No decorrer da reunião ele ainda criticou a conservação de várias estradas rurais do município, dizendo que muitas estão em péssimo estado, falou que é preciso resolver o problema da fila do SUS em Alpinópolis, principalmente das muitas cirurgias que estão aguardando agendamento, e da necessidade de se promover a geração de emprego e renda na cidade.

No momento da presidência foi feita a prestação de contas do Legislativo referente ao mês de agosto de 2018 e esclarecidos alguns pontos sobre o Regimento Interno da Câmara, notadamente no que toca ao tempo de uso da palavra pelos vereadores durante as votações.

O vice-presidente Mauro da Ração assumiu os trabalhos para a deliberação de uma proposição de autoria do presidente José Acácio, o PL 012/2018, que dá a denominação de “Benevenuto Augusto de Souza” ao estádio municipal, conhecido popularmente como Campo do CEA, com o intuito de regularizar o designativo. O autor esclareceu que o local já contava com essa nomenclatura desde 1983, que inclusive pode ser vista em uma placa na entrada do campo, no entanto fez a proposta devido à ausência de documentação oficial sobre o assunto. O projeto foi discutido e aprovado por unanimidade, em primeira e segunda votação.

O caso foi trazido à tona em função de uma polêmica causada em 2016, quando o ex-prefeito Júlio Cesar Bueno da Silva, o Júlio Batatinha (PTB), resolveu dar o nome de “Gabriel e Rafael” ao complexo esportivo da cidade, homenageando os gêmeos que foram vítimas de um crime brutal ocorrido na comunidade. No entanto, familiares e amigos do senhor Benevenuto Augusto de Souza se sentiram incomodados com a suposta substituição da nomenclatura e, principalmente por meio das redes sociais, se manifestaram mostrando insatisfação com a mudança. A prefeitura, na oportunidade, chegou a emitir nota esclarecendo que o nome não havia sido retirado, mas que o espaço – incluindo outros ambientes esportivos – é que teria recebido a nova denominação.

Diante do conflito, uma análise foi feita nos anais da Câmara e da Prefeitura Municipal em busca da documentação da época (1983) que oficializava o estádio com o nome de Benevenuto Augusto de Souza, no entanto nada foi encontrado. Dessa forma, com o intuito de regularizar a situação, é que o presidente propôs o projeto. Durante a discussão da proposta, José Acácio pediu ao líder do governo, vereador Guilherme Lima, que explicasse melhor a questão, já que ainda restavam dúvidas, tanto no âmbito do Legislativo como junto à população, sobre a confusão provocada pela miscelânea de nomes.

Guilherme respondeu que o complexo, que agora leva o nome “Gabriel e Rafael”, engloba o estádio em questão, o poliesportivo e a pista de skate. Portanto, nenhuma homenagem havia sido suprimida para dar lugar a outra. A vereadora Sandra do Joaquim Itamar (PSDB) aparteou o líder da bancada situacionista e declarou não ter compreendido bem os propósitos de se nomear algo que já era nomeado e que entendia haver indeterminação sobre qual parte do complexo, exatamente, levava o nome de Benevenuto Augusto de Souza. A perplexidade da vereadora foi compartilhada pelo colega Rafael Freire que ainda lembrou que o senhor Benevenuto foi vereador por vários mandatos, vice-prefeito e figura representativa na história esportiva de Alpinópolis.

Na mesma reunião foi votado o PL 022/2018, que altera o quadro de entidades representativas componentes do Conselho Municipal do Idoso, já que a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Alpinópolis abriu mão da vaga e foi substituída pela Loja Maçônica Caminho das Oliveiras. A proposta foi discutida e aprovada por unanimidade, em primeira e segunda votação.

OUÇA A ÍNTEGRA DA REUNIÃO CLICANDO NO LINK ABAIXO:

Deixe uma resposta