Morte de adolescente de 15 anos será investigada pelo Ministério Público

A mãe exibe radiografia tirada dos pulmões de Milena. (foto: reprodução EPTV)

A mãe exibe radiografia dos pulmões de Milena.
(foto: reprodução EPTV)

A família da adolescente Milena Aparecida Magalhães de 15 anos que faleceu na semana passada, vítima de pneumonia, na Santa Casa de Misericórdia de Alpinópolis, decidiu apresentar denúncia contra o médico que a atendeu ao Ministério Público.

De acordo com o relatado pelos parentes, o médico teria liberado Milena na terça-feira 29 de outubro após proceder à análise de uma radiografia feita dos pulmões da jovem. Como não cessaram os sintomas, a menina voltou ao hospital no dia seguinte, mas o quadro já havia se agravado e nada mais pôde ser feito. O atestado de óbito da vítima confirma a causa do falecimento como “MORTE SÚBITA, PNEUMONIA”.

Certidão de Óbito

Conforme a mãe, Neuza Maria Magalhães, o médico demonstrou dúvida ao analisar a radiografia e não soube diagnosticar o problema, dizendo não saber se a menina estava ou não com pneumonia. “Ele mandou a gente embora, não pediu internação, não pediu chapa, a chapa quem pediu fui eu. O moço que tirou o raio-x foi que falou que ela estava com pneumonia e ele não soube dizer o que ela tinha. Ele falou que não sabia dizer o que ela tinha, que parecia que era um começo de pneumonia”, declarou a mãe.

O administrador hospitalar Denilson Figueiredo

Denilson Figueiredo

A direção do hospital declarou que também irá instaurar um processo de investigação para esclarecimento do caso. Denilson Vaz de Figueiredo, administrador hospitalar responsável pela Santa Casa, disse que se alguma falha envolvendo o hospital for apurada, as devidas providências serão tomadas. “A gente vai ver se houve algum erro, algum equívoco da enfermagem, da direção clínica ou do atendimento médico. Sendo constatado, estaremos corrigindo ou aplicando a punição futuramente”, disse.

O Ministério Público informou que vai apurar a denúncia e que aguarda a entrega de mais documentos pela família da vítima. O médico que atendeu Milena no hospital foi procurado para manifestar-se, mas preferiu não falar sobre o assunto.

Deixe uma resposta