Ministério Público pede afastamento de Douglas Tintas

Douglas TintasO promotor de Justiça da Comarca de Alpinópolis, Dr. Rodrigo Storino, ofereceu denuncia e está movendo uma ação por improbidade administrativa contra o presidente da Câmara dos Vereadores de Alpinópolis, Douglas Brasileiro Freire, o Douglas Tintas (PP), por uso indevido do veículo VW Jetta pertencente ao Poder Legislativo. O inquérito civil teve início com a prisão em flagrante do vereador, surpreendido na cidade de Passos dirigindo embriagado o veículo oficial, no último dia 26 de junho. Esta ação do Ministério Publico do Estado de Minas Gerais (processo nº 0021350-28.2015.8.13.0019) pede a perda do cargo e o afastamento do parlamentar das atividades da Casa Legislativa.

O promotor esclareceu que na última terça-feira (04) o pedido de liminar para afastamento do vereador de suas funções legislativas foi indeferido pelo juiz Cesar Rodrigo Iotti, porém o representante do MP afirmou que irá recorrer ao TJMG para dar seguimento à ação visando a aplicação de todas as sanções relativas a essa infração administrativa. Storino ainda acrescentou que, além dessa situação específica, a investigação apontou que podem existir outras oportunidades em que o presidente fez uso irregular do veículo da Câmara.

Para o Ministério Público não resta dúvidas de que, apesar da negativa da liminar pelo magistrado local, o processo terá sequencia, uma vez que existem evidências do ato de improbidade administrativa.

CÂMARA RECUSOU INVESTIGAÇÃO

Antes do início do inquérito civil, em reunião extraordinária realizada no dia 8 de julho na Câmara Municipal, a maioria dos vereadores alpinopolenses votou contra a abertura de uma Comissão Processante para investigar a conduta do presidente Douglas Tintas. A maioria da Casa foi contrária à formação da comissão, sendo o requerimento derrubado por cinco votos a três. Votaram contra: Adriano Ploc (PDT), Paulina do São Bento (PTB), Zé Antônio (PTB), Noé Bueno (PTB) e Luiz Paiva (PRTB). Votaram a favor: José Acácio (PSDB), Sandra do Nequinha (PSD) e Ângela Enfermeira (DEM), esta última suplente de Jaqueline Rocha (DEM), que foi impedida de votar por ser a autora do requerimento. Douglas Tintas se absteve de votar.

O PRESIDENTE

Indagado sobre a citada ação do Ministério Público, o presidente Douglas Tintas declarou à imprensa ainda não ter sido notificado oficialmente sobre o caso.




SOBRE OS COMENTÁRIOS

Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.



Importante: Os editores não farão aviso prévio em relação a exclusão ou não aprovação de comentários.