Júri condena assassino de gêmeos de Alpinópolis a mais de 68 anos de prisão

Foi condenado em sessão do Tribunal do Júri realizada na sexta-feira (13), no fórum da comarca de Passos, o acusado pelo assassinato de dois irmãos gêmeos, assim como da bisavó deles, que chocou a cidade de Alpinópolis no início de 2016. O extrator de pedras Neison Fernando Fabiano, vulgo Neison Garrucha, teve a pena fixada em 68 anos e 9 meses de prisão, segundo sentença proferida pelo juiz Matheus Queiroz de Oliveira.

O julgamento desse crime era ansiosamente aguardado pela população local devido à comoção causada pela brutalidade com que foi cometido, no dia 3 fevereiro de 2016, no bairro Vila Betânia, em Alpinópolis. Na oportunidade o assassino invadiu o imóvel onde os irmãos, Gabriel Amaral da Costa Romão e Rafael Amaral da Costa Romão, ambos de 17 anos, viviam com a bisavó Luzia Maria dos Santos, de 80 anos, e disparou vários tiros.

Segundo os autos, o crime teve motivações passionais, uma vez que o réu mantinha um relacionamento amoroso com Renata Fernanda Costa Romão, mãe dos adolescentes. Em data pretérita ao assassinato havia ocorrido um desentendimento entre o casal, com posterior rompimento da relação, fato que teria levado o autor a executar as vítimas por motivo de vingança. Os dois adolescentes e a idosa chegaram a ser socorridos no pronto-atendimento do Hospital Cônego Ubirajara Cabral, em Alpinópolis, mas não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito.

Após o crime o assassino fugiu, no entanto, no final da tarde do mesmo dia, foi encontrado e capturado em um cafezal na zona rural do município. De acordo com informações da Polícia Civil, ele havia tentado suicídio disparando um tiro contra o próprio peito. Desde então, Neison se encontrava preso cautelarmente aguardando julgamento pelo triplo homicídio cometido.

Inicialmente marcada para acontecer em novembro de 2017, em Alpinópolis, a sessão foi cancelada à época, visto que o advogado nomeado nos autos para defender o réu protocolou uma petição solicitando adiamento, alegando problemas de saúde, o que o impossibilitaria de desempenhar suas funções durante a defesa.

Remarcado, o Tribunal do Júri foi realizado no fórum de Passos. A sessão teve início por volta das 9h e se estendeu até às 15h da última sexta-feira. Após análise, em decisão soberana, o Conselho de Sentença considerou o réu culpado das acusações constantes na denúncia oferecida pelo Ministério Público e o juiz fixou a pena a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado.

De acordo com a sentença a dosimetria da pena foi feita de forma individualizada, obtendo o réu condenação, em separado, pelo assassinato de cada uma das vítimas. Pela morte da idosa a pena aplicada foi de 25 anos de reclusão e, por cada um dos gêmeos, de 21 anos, 10 meses e 15 dias. A somatória aponta que Neison Garrucha deverá cumprir 68 anos e 9 meses de prisão.

Deixe uma resposta