Idoso morre vítima de gripe H3N2 em Alpinópolis

Vacinação Contra Gripe - Pitanguinha Foto:Marco Antônio/Secom *** Local Caption *** Vacinação Contra Gripe

O Departamento Municipal de Saúde de Alpinópolis (DMS) confirmou, nesta quinta-feira (29), a primeira morte no município ocasionada pelo vírus Influenza A (H3N2). A vítima, um idoso de 74 anos, estava internada na Santa Casa de Misericórdia de Passos há cerca de 15 dias com sintomas da doença. A constatação veio após o material coletado do paciente ser analisado pela Fundação Ezequiel Dias (FUNED). No ano passado, uma gestante de 21 anos também faleceu em razão do vírus Influenza na cidade, porém na variação H1N1.

Segundo a Vigilância em Saúde de Alpinópolis, órgão subordinado ao DMS, o paciente em questão, que residia no bairro São Benedito, recebeu os primeiros atendimentos ainda no município e, na data de 12 de junho, em função de apresentar complicações repentinas em seu quadro de saúde, foi encaminhado à Santa Casa de Passos, uma vez que passou a manifestar sintomas mais evidentes de contaminação pela gripe H3N2.

Após os procedimentos de praxe, já sob a inspeção da Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS), foi feita a coleta de material biológico do paciente, o qual foi enviado para análise à FUNED, em Belo Horizonte. A ocorrência da doença foi confirmada por meio de laudo emitido pela fundação nesta quinta-feira (29).

A Prefeitura de Alpinópolis comunicou que a equipe de Saúde da cidade está realizando todas as medidas cabíveis para o bloqueio da doença. A administração esclareceu também que a meta de vacinação do município foi cumprida, estando os grupos de risco devidamente imunizados.

H1N1

Um ano atrás, no dia 23 de junho de 2016, era confirmada a morte de uma jovem, de 21 anos, por gripe H1N1, em Alpinópolis.  A vítima foi uma gestante, residente no bairro Rosário, que também faleceu na Santa Casa de Passos. Após 11 dias de internação a paciente veio a falecer devido ao agravamento do estado de saúde ocasionado pela doença. A gestação, que já estava em estágio avançado, foi interrompida e a criança acabou nascendo prematura, sendo internada na UTI neonatal.

DIFERENÇA

A única diferença entre o H1N1 e o H3N2 é que são cepas diversas. Os dois são os mais prevalentes do tipo Influenza e, por isso, causam mais infecções e mortes. A Influenza apresenta as variações A, B e C, que podem sofrer mutações, transformações nas estruturas genéticas, e são altamente transmissíveis.

Enquanto o H1N1 possui uma proteína chamada hemoaglutinina, que tem a capacidade de se replicar, e uma neuroaminidaze, com a função de ligar as células, o H3N2 possui uma quantidade maior de proteínas: duas hemoaglutininas e três neuroaminidazes, modificando a forma de infecção do vírus.

A Influenza pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carrear o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos. Não há diferença de transmissão entre esses dois tipos de Influenza sazonal.




SOBRE OS COMENTÁRIOS

Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.



Importante: Os editores não farão aviso prévio em relação a exclusão ou não aprovação de comentários.