Homem de 32 anos é assassinado em Alpinópolis

Ricardo Silva, de 32 anos, foi assassinado a tiros no bairro CEA. Foto: Arquivo Polícia Civil

Ricardo Silva, o “Resina”, foi assassinado com um tiro no olho.

A ocorrência de mais um assassinato em Alpinópolis assusta, novamente, a população local. Somente neste primeiro semestre já foram quatro crimes dessa natureza registrados na cidade. Desta vez a vítima foi um homem de 32 anos baleado na noite do último domingo (15). a Polícia Militar informou que várias chamadas foram feitas ao telefone de emergência (190), por volta de 20h, comunicando o acontecimento de disparos com arma de fogo no bairro CEA, notadamente na Praça José Julio Mariano, ponto conhecido pelos alpinopolenses como Praça do Baiano. Dirigindo-se ao local a viatura da PM encontrou Ricardo Reis da Silva, vulgo “Resina”, ainda vivo, porém com uma perfuração em sangramento no olho esquerdo, supostamente produzida por balas de revólver. Nas proximidades foram achados uma pedra de crack, um isqueiro e um boné. Devido ao local encontrar-se deserto no momento do crime não há testemunhas do fato. O autor ainda não foi localizado.

A ambulância do Pronto Socorro foi acionada imediatamente, porém como o veículo não se encontrava nas dependências do hospital, sendo informado que estava em viagem à cidade vizinha de Passos, compareceu ao local, de forma improvisada, um veículo particular a serviço da Santa Casa com duas técnicas em enfermagem, as quais verificaram que a vítima ainda apresentava sinais vitais. Na falta da ambulância, as profissionais juntamente com um integrante da equipe da PM, removeram a vítima na viatura militar até o pronto atendimento do hospital.

Segundo declaração do médico que atendeu Ricardo, minutos após a entrada o mesmo veio a falecer. Com a confirmação do óbito foi estabelecido, como de praxe, contato com o plantão da Polícia Civil e solicitado a presença da perícia técnica. Os peritos compareceram e removeram o corpo para o Posto de Perícias Técnicas de Passos onde foi realizada uma necropsia havendo, em seguida, a liberação para o serviço funerário.

Deixe uma resposta