História da Igreja Matriz de São Sebastião de Alpinópolis

A cidade de Alpinópolis nasceu e cresceu em torno de uma igreja. Era o ano de 1782 quando o bispo Frei Manuel da Ressurreição autorizou a edificação de uma ermida, na fazenda então denominada Ventania, construção que somente foi realizada em 1808, exatamente onde está, atualmente, a Matriz de São Sebastião. O prédio, tal qual vemos hoje, completou 70 anos no último dia 5 de julho – só ficou pronto em 1949 – e foi erguido em duas etapas: primeiro a torre e depois o corpo do templo.

Novo templo completou 70 anos em 2019.

Foi no ano de 1809 que o alferes José Justiniano dos Reis e sua esposa Anna Theodora de Figueiredo (Dona Indá), fundadores de Alpinópolis, comunicaram à Diocese de São Paulo a conclusão da primitiva capela, bem como a decisão do casal de doar um terreno que constituiria o patrimônio do santo. No entanto, apenas em 1810 é que a capela foi declarada visitada, patrimoniada, benta e em condições de nela se celebrarem missas e demais funções religiosas. Um decreto imperial, datado de 1824, reconheceu a Capela de São Sebastião como freguesia colada, filial da Matriz de Jacuí.

Cerimônia de inauguração do novo templo.
– 05 de julho de 1949 –

Em 1870, em decorrência do crescimento da população, iniciou-se a ampliação do prédio, obra terminada 14 anos depois, quando a capela foi alçada ao patamar de matriz. No ano de 1914, época em que o arraial deixou de se chamar São Sebastião da Ventania e ganhou o nome de Alpinópolis, o templo foi iluminado precariamente, recebendo energia de uma pequena usina instalada no Poço das Andorinhas.

Obras na torre da igreja.

Em 1916, quando o padre Vicente Bianchi assumiu a paróquia, a matriz recebeu novas instalações e em 1923 foi aumentada. Como não possuía torre – e existia a intenção da comunidade católica de se levantar uma – a comissão organizadora da festa de São Sebastião de 1925 definiu que a renda do evento teria essa finalidade, ou seja, edificar a fachada e a torre da igreja. A obra foi confiada ao famoso construtor passense David Baldini e sua conclusão ocorreu em 1930. A inauguração aconteceu no dia 7 de dezembro daquele ano.

Durante uma visita paroquial a Alpinópolis, realizada em 1941, o bispo D. Hugo Bressane de Araújo reconheceu a necessidade de demolição da antiga matriz, uma vez que a edificação estava bastante deteriorada, inclusive com riscos de ruir. No entanto o desmanche somente foi realizado, de fato, em 1945.

Estado precário que apresentava a igreja.

No mesmo ano, seguindo uma planta desenhada pelo arquiteto paulista Benedito Calixto de Jesus Netto, começou a ser levantada a nova igreja que iria, então, compor um conjunto harmonioso com a torre. O corpo do templo foi construído em forma de cruz romana, medindo 42m de comprimento por 25m de largura e 10,5m de altura (nave central). A altura da torre é 30,8m. Possui três altares esculpidos em mármore de Carrara e 19 aberturas ornadas por magníficos vitrais artísticos com motivos religiosos.

Trabalhadores na construção da igreja.

A execução foi realizada pelo construtor licenciado Alencar Augusto dos Santos e as obras, sob a supervisão do cônego Vicente Bianchi e de uma comissão formada por ilustres alpinopolenses, duraram mais de quatro anos.

Construção sendo levantada.

Finalmente, no dia 5 de julho de 1949, às 6h30min, iniciaram-se as solenidades de inauguração da nova matriz. Uma missa foi celebrada na Igreja do Rosário e, em seguida, o povo desceu em procissão rumo à casa paroquial, onde D. Hugo Bressane se uniu aos fiéis em caminhada solene até a porta principal do templo.

Ainda na porta, o bispo deu a benção à nova imagem de São Sebastião e o presidente da comissão de obras, o doutor José Carvalho de Faria, proferiu um discurso, fazendo a entrega simbólica do prédio à diocese. Na época, foram investidos Cr$ 900.000,00 (novecentos mil cruzeiros) na construção.

 

Referências Bibliográficas:
LOPES, José Iglair. História de Alpinópolis: nos séculos XVIII, XIX e XX, até 1983/José Iglair Lopes; colaborador: Dimas Ferreira Lopes. – Belo Horizonte: O Lutador, 2002.

LOPES, José Iglair (Pesq.) Pequeno Histórico da Paróquia de São Sebastião da Ventania. Coordenado por Nathanael Pimenta Freire/COPASSE Alpinópolis; colaboradores: Eloy de Faria Filho, João Damasceno dos Reis, Omar Cabral Krauss. – Passos: Editora São Paulo, 1996.

Leave a Reply