Geração de empregos na agropecuária cai em Alpinópolis

A queda no número de contratações da Agropecuária encolheu a geração de empregos em Alpinópolis no primeiro semestre de 2018, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, do Ministério do Trabalho. Comparando os dois períodos, a cidade registrou queda de 77% nos empregos gerados por este setor específico. Em outro estudo, informações disponibilizadas pelo Censo Agropecuário realizado pelo IBGE, mostram que a mecanização ocorrida no campo vem reduzido o número de trabalhadores rurais.

Conforme os novos números do CAGED, Alpinópolis gerou no acumulado de todos os setores, 20 vagas de emprego nos primeiros seis meses deste ano, contra 67 vagas formais geradas no mesmo período de 2017. A pior estatística foi registrada em janeiro, quando o município fechou 41 vagas. O melhor desempenho aconteceu em março com a geração de 28 novos postos.

Na cidade, o setor que melhor reagiu foi o de Serviços, que teve um saldo positivo de 27,5%. Em 2017 foram criadas 29 vagas em contraponto às 37 de 2018, um aumento de 8 postos de trabalho.

Um dos setores que diminuiu o número de contratações, inclusive variando o saldo de positivo para negativo, foi o da Construção Civil. De janeiro a junho do ano passado, houve registro da abertura de 5 postos de trabalho. No mesmo intervalo deste ano foram fechadas 9 vagas. Outro que também saiu do positivo indo para o negativo foi o Comércio, passando de +3 em 2017 para -7 em 2018.

A Indústria de Transformação e a Extração Mineral demitiram mais que contrataram. Em 2017 foram 17 e 3 demissões contra 21 e 5 em 2018, respectivamente. Ambos os setores fecharam com saldo negativo neste semestre.

A Agropecuária foi o setor da economia que apresentou maior queda na geração de empregos: -87 vagas em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho deste ano, o setor gerou 25 vagas de trabalho em Alpinópolis. Já em 2017, no mesmo período, foram 112 vagas geradas.

De acordo com o mais recente Censo Agropecuário, divulgado na última semana pelo IBGE, a mecanização na atividade agropecuária nacional tem contribuído para a redução do número de trabalhadores rurais. Pelas estimativas do órgão, de 2006 a 2017, para cada trator no campo, quase quatro empregos foram extintos.

Segundo dados do IBGE, Alpinópolis é o segundo município da região com maior número de instrumentos para a agropecuária, somando 863 equipamentos. Desse total, 543 são tratores, 87 são semeadeiras, 42 colheitadeiras e 191 adubadeiras (distribuidoras de calcário). A cidade fica atrás apenas de Passos, que conta com 1.509 equipamentos. Em terceiro lugar está Bom Jesus da Penha, com 624.

Sendo assim, com o total de 543 tratores ativos em Alpinópolis, ao realizar o cálculo proporcional seguindo as regras adotadas pelo IBGE, presume-se que, na cidade, algo em torno de 2.172 empregos foram suprimidos no setor agropecuário nos últimos 12 anos.

Deixe uma resposta