Geração de emprego tem saldo negativo em Alpinópolis nos últimos quatro anos

Vista panorâmica Alpinópolis

A geração de empregos no município de Alpinópolis registrou resultado negativo entre janeiro de 2013 e novembro de 2016. O estudo é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, que apontou haver decréscimo de 74 postos de trabalho na cidade nos últimos quatro anos. Para tanto, o mercado de trabalho alpinopolense se movimentou apresentando 3.715 contratações e 3.789 demissões.

Nessa estatística pode ser verificado que, dentre os desligamentos, 2.586 foram relativos à dispensa sem justa causa e 11 com justa causa, 823 a pedido do trabalhador, 348 por término de contrato, entre outros motivos.

Alguns segmentos específicos apresentaram números notadamente desfavoráveis e contribuíram de forma mais intensa para a composição negativa do presente quadro. Dentre eles está o setor da Extração Mineral, sendo este o que mais demitiu, com 118 vagas extintas. Em seguida vem a Construção Civil indicando 95 postos de trabalho fechados, o Comércio com 18 vagas suprimidas e a Indústria de Transformação que registrou 15 desligamentos.

Em contrapartida outros segmentos apontaram números positivos como, por exemplo, o setor de Serviços, que contabilizou no período 164 novos postos de trabalho, e o de Agropecuária com 6 vagas criadas.

Na região a movimentação na geração de empregos varia de acordo com cada município. Algumas cidades, ao contrário de Alpinópolis, fecharam os últimos quatro anos com saldo geral positivo, como Delfinópolis (+329), Capitólio (+262), Pratápolis (+237), Juruaia (+195), Capetinga (+194), Alterosa (+173) e Carmo do Rio Claro (+162). Já outros também registraram resultados negativos, como Itaú de Minas (-379), Cássia (-160), Bom Jesus da Penha (-152), São José da Barra (-32) e São Roque de Minas (-4).

Deixe uma resposta