Firjan mostra queda no índice de desenvolvimento municipal em Alpinópolis

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – IFDM, que mede o desenvolvimento dos municípios brasileiros, mostrou que houve um declínio em Alpinópolis em 2016, último ano analisado. O indicador geral do IFDM fechou em 0,6967 e ficou abaixo do 0,7016 registrado em 2015. O pior desempenho nos números alpinopolenses sobrou para o indicador “Emprego e Renda”, que apresentou um índice de 0,3985 sendo classificado dentro da categoria “Baixo Desenvolvimento”. Na região, o município emplacou um modesto 14º lugar entre 21 cidades do Sudoeste de Minas.

Segundo o ranqueamento estabelecido pela Firjan, Alpinópolis ocupa atualmente a 2.205ª colocação no Brasil e a 320ª em Minas Gerais. Os números indicam que, em relação a 2015, o município caiu 409 posições, em nível nacional, e 125 em nível estadual. Se a comparação for feita com 2012, ano que registrou melhor desempenho para a cidade, a queda é ainda mais acentuada, e mostra que Alpinópolis despencou 1.317 posições na esfera nacional e outras 215 na estadual.

Divulgado recentemente pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – Firjan, com base em dados de 2016, o IFDM 2018 monitora os indicadores sociais em 5.471 municípios, onde vivem 99,5% da população brasileira. O estudo que compõe o índice geral leva em conta três vertentes na esfera municipal, sendo elas: “Emprego e Renda”, “Saúde” e “Educação”.

O levantamento adota uma escala de avaliação que vai de 0 a 1 – quanto mais próximo de 1 maior o desenvolvimento do município. As cidades são divididas em quatro categorias: “Baixo Desenvolvimento” (de 0 a 0,4), “Desenvolvimento Regular” (0,4 a 0,6), “Desenvolvimento Moderado” (de 0,6 a 0,8) e “Alto Desenvolvimento” (0,8 a 1). O índice vem sendo aferido há uma década. O município de Alpinópolis, desde 2005, mantém-se na categoria “Desenvolvimento Moderado”, tendo seu melhor desempenho acontecido no ano de 2012, quando alcançou 0.7751, e o pior em 2014, oportunidade em que chegou a 0,6881.

Duas das três vertentes que compõem o IFDM de Alpinópolis assinalaram queda em 2016. Ironicamente, o índice que apresenta o pior desempenho no município, o de “Emprego e Renda”, foi o único que cresceu em relação a 2015, subindo de 0,3902 para 0,3985. Esse indicador registrou sua performance mais desfavorável em 2014, quando houve o rebaixamento na categoria (caindo de “Desenvolvimento Regular” para “Baixo Desenvolvimento”) e o índice foi de 0,3887. Essa foi a área de desenvolvimento que mais decaiu na cidade nos últimos anos.

Tanto “Educação” como “Saúde” apresentaram queda em Alpinópolis de acordo com esta análise mais recente, porém mantendo-se, ambas, na categoria “Alto Desenvolvimento”, patamar que alcançaram e mantiveram, de forma sequencial, em 2010 e 2011, respectivamente.

Os números da Firjan revelam que o IFDM “Educação” diminuiu de 0,8599 (2015) para 0,8593 (2016). Já o IFDM “Saúde” caiu de 0,8546 para 0,8324, no mesmo período. 

REGIÃO

Na região, apenas a cidade de Bom Jesus da Penha (0,8026), a melhor colocada, alcançou o IFDM “Alto Desenvolvimento”. Fortaleza de Minas (0,5958), com a pior colocação, ficou relacionada como IFDM “Desenvolvimento Regular”.  As demais receberam a classificação “Desenvolvimento Moderado”: São Sebastião o Paraíso (0,7892), Delfinópolis (0,7644), Passos (0,7547), São Tomás de Aquino (0,7537), Guapé (0,7508), Carmo do Rio Claro (0,7383), São João Batista do Glória (0,7286), Capitólio (0,7127), Nova Resende (0,7114), São Pedro da União (0,7102), Ibiraci (0,7018), São José da Barra (0,6968), Alpinópolis (0,6967), Jacuí (0,6887), Itaú de Minas (0,6854), Claraval (0,6841), Capetinga (0,6616), Cássia (0,6463) e Pratápolis (0,6410).

Deixe uma resposta