Escola Dona Indá conquista novas medalhas na Olimpíada da Língua Portuguesa

A Escola Estadual Dona Indá já soma 8 medalhas conquistadas nas 3 edições da Olimpíada de Língua Portuguesa. A 1ª edição, em 2008, contou com a participação de mais de 6 milhões de estudantes e a aluna Carolina Aparecida conquistou as medalhas de bronze, prata e ouro. Em 2010, na 2ª edição, com mais de 7 milhões e 700 mil alunos, a escola venceu a semifinal e a final, com Pedro Henrique (bronze) e Ederaldo (bronze e prata). Neste ano, na 3ª edição da Olimpíada, a escola já conquistou 2 medalhas de bronze, vencendo em duas categorias na etapa estadual. Dos 48 mil textos julgados nesta etapa, 25 de cada categoria passaram para a regional. Entre os alunos vencedores da semifinal estão as alpinopolenses Maria Antonia Faria de Lima (categoria “Crônica”) e Andréia Venâncio (categoria “Memórias Literárias”).

Professora Rosinha Mendes ladeada pelas alunas Maria Antonia e Andréia

As alunas e a professora Rosa Mendes estarão, na primeira quinzena de novembro, em Natal e em São Paulo para a cerimônia de premiação e para concorrerem à 4ª etapa. Também terão o privilégio de participarem de três dias de oficinas de formação, trocas de experiências e roteiros culturais com professores e alunos de todo o país. A grande final – Etapa Nacional – acontecerá nos dias 09 e 10 de dezembro, em Brasília.

Maria Antonia falou sobre a importância de participar desse projeto e sua intervenção nos valores de cidadania dos alunos. “Em minha opinião, a Olimpíada de Língua Portuguesa, além de nos ensinar a escrever vários gêneros textuais, também é importante para a nossa formação como cidadãos, pois tivemos muitas lições de ética, durante o desenvolvimento desse projeto. A Olimpíada também me apresentou uma nova forma de olhar o mundo a minha volta, descobri que, ao despertar este novo olhar, posso aprender cada vez mais sobre o lugar onde vivo”, disse a estudante.

Para Andréia Venâncio, falar sobre Alpinópolis foi um prazer ímpar e a confecção do texto a ajudou a conhecer melhor suas raízes. “Foi muito bom ter participado da Olimpíada de Língua Portuguesa, pois com o tema: “O lugar onde vivo”, pesquisei e descobri como era a nossa cidade e a vida de seus habitantes do início até hoje. Depois, desenvolvendo as oficinas com a professora Rosinha, gostei mais ainda, porque relembrei a minha infância e, ainda, descobri como era a vida dos meus avôs e de várias pessoas da minha comunidade. Agora, me sinto muito feliz, por ter feito uma homenagem ao meu avô, escrevendo as suas memórias, e por ter conseguido chegar tão longe”, afirmou.

A professora Rosa Mendes, frisou a importância deste tipo de concurso para fomentar o hábito de leitura nos estudantes e sua natural contribuição como transformadora da realidade social das comunidades. “Participar da Olimpíada de Língua Portuguesa é sempre um prazer, pois escrever sobre a comunidade onde se vive estimula novas leituras, pesquisas e estudos que levam sempre a uma transformação social”, pontuou a educadora.

Leave a Reply