Entrevista com o novo provedor do Hospital Cônego Ubirajara Cabral

tião_capetaSebastião Sandre Angelo, o Tião Capeta,  foi recentemente eleito para capitanear a Santa Casa de Misericórdia de Alpinópolis e estará à frente do comando da entidade até setembro de 2017. Em entrevista ao Tribuna Alpina o dirigente fala sobre os desafios, questões financeiras, investimentos federais e estaduais no hospital, suporte do poder público municipal, entre outras questões.

Em linhas gerais, como está a situação da Santa Casa?

Apesar da Santa Casa estar bem estruturada e sem nenhuma dívida, vejo que esta instituição, a meu ver a mais importante da cidade, apresenta uma grande fragilidade financeira, principalmente quando a comparamos com outras existentes aqui como, por exemplo, o Sindicato dos Produtores Rurais e o Asilo São Vicente de Paulo. Essa situação ocorre, pois o hospital tem um considerável volume de dinheiro para receber na Justiça, pendências relativas ao não pagamento do convênio firmado com a Prefeitura de Alpinópolis em gestões passadas. Há cobranças mais recentes e outras que já estão na Justiça há mais de 10 anos, e o montante da dívida, considerando o preço do dia, chega a algo em torno de R$ 2 milhões. Como esses processos judiciais são morosos, não existe previsão para o recebimento desses valores e isso acaba afetando diretamente a saúde financeira da entidade.

Se a condição financeira encontra-se fragilizada, como o hospital vem sendo mantido?

A Santa Casa é uma entidade filantrópica que recebe recursos do SUS, mas o que tem, de fato, permitido a sustentação das atividades são as doações, principalmente oriundas dos carnês de doação. Graças à população, o hospital permanece dignamente de pé.

Como funciona o sistema dos carnês de doação?

Há muitos anos foi implantado o sistema dos carnês de doação com o objetivo de promover a manutenção, adequação e ampliação do hospital. O carnê de doação é uma contribuição mensal que o cidadão faz para a entidade e isso é revertido em melhoras para o atendimento da própria comunidade e dá ao contribuinte o direito de receber vários benefícios como consultas, internações em apartamentos (com acompanhante) e exames. Nos últimos anos as contribuições têm aumento bastante, mas é necessário ampliar ainda mais. Esse sistema é tão importante para a manutenção das atividades da Santa Casa que arrisco dizer que, sem ele, o hospital poderia até ser obrigado a fechar as portas.

Atualmente há compromisso e cooperação por parte da prefeitura?

Sim, o prefeito vem pagando em dia o convênio que a prefeitura tem com a Santa Casa e tem demonstrado, juntamente com a diretora do Departamento Municipal de Saúde, boa vontade em cooperar com o hospital.

A Santa Casa tem recebido recursos de outras esferas administrativas, ou seja, do Governo Estadual e Governo Federal?

Sim, nos últimos cincos anos os parlamentares com base política em Alpinópolis tem enviado recursos estaduais e federais para a Santa Casa. No ano de 2010 foi alocado para a entidade um recurso para compra um aparelho de raio-X e outros equipamentos no valor de R$ 100 mil (emenda do deputado Carlos Melles), em 2011 foram R$ 100 mil para a compra de outro raio-X e um vídeo endoscópio (emenda do deputado Cássio Soares) e mais R$ 98 mil para aquisição de um aparelho de ultrassonografia (emenda do deputado Aelton Freitas), em 2012 foi colocado o valor de R$ 120 mil para compra de um arco cirúrgico (emenda do deputado Cássio Soares) e em 2014 já existem dois projetos aprovados e empenhados no Ministério da Saúde. Esses recursos de 2014 aguardam apenas o pagamento e um deles, no valor de R$ 100 mil, será utilizado para a compra de uma mesa cirúrgica elétrica e um foco (emenda do deputado Aelton Freitas) e outro para a troca do piso do centro cirúrgico  e da ala de internação, também no valor de R$ 100 mil (emenda do deputado Carlos Melles).

Nesse início de mandato, o que já foi feito?

Apesar dos recursos limitados, algumas ações já puderam ser executadas para atender nosso planejamento para os próximos três anos. Já conseguimos fazer um financiamento junto ao SICOOB para a compra de um aparelho chamado “Digitalizador de Raio-X”, no valor de R$ 115.000,00. Vale ressaltar o apoio da presidente do banco, Margarida Maria Alacoque, que se colocou a inteira disposição da diretoria da Santa Casa para qualquer necessidade. Executamos a contratação de uma empresa de Recursos Humanos para dar treinamento a todos os funcionários do hospital, com isso almejamos tornar o nosso atendimento ao público uma referência regional. Com o auxílio da prefeitura, implantamos o novo sistema de plantão diário, funcionando entre as 14:00 e às 20:00h, que objetiva, além do atendimento regular ao público, também desafogar o serviço no pronto-socorro. Houve também a contratação de especialistas como o ortopedista Dr. Ciro Pimenta e o médico vascular Dr. Alexandre Lobue, além dos atendimentos dos médicos Dr. Marco Aurélio Mezêncio, Dr. Faria, Dr. Agnaldo e, aos finais de semana, Dr. Ralph Melo, Sr. Dèrick Vinhos e Dra. Laís Barros.

Como foi citada a expressão “planejamento para os próximos três anos”, supõe-se que há uma programação de metas para seu mandato. Quais são essas metas?

Nosso objetivo maior é que o cidadão seja bem atendido e, para isso, é necessário que haja uma gestão planejada. Além das medidas imediatas que foram tomadas, posso adiantar que uma das principais ações para esse final de 2014 é o contato com as bases dos candidatos eleitos em outubro, para que, ao assumirem suas vagas no Congresso Nacional ou na ALMG, comprometam-se com a Santa Casa. Já contamos com um profissional preparado para desenvolver os projetos e precisamos apenas que os recursos sejam direcionados para o hospital.  Para o início de 2015 pretendemos adquirir um aparelho chamado “Videolaparoscópio”, equipamento que dará suporte para a realização de mais de 20 tipos de cirurgias em nosso bloco cirúrgico. Em longo prazo pretendemos trazer para o hospital o maior número possível de médicos especialistas, isso com o objetivo de evitar que a população de Alpinópolis precise se deslocar daqui para receber esse tipo de atendimento.

Um recado do novo provedor para o povo alpinopolense.

O recado que quero deixar é a afirmação de que eu e os demais companheiros de diretoria estamos empenhados em fazer o possível para aperfeiçoar o atendimento oferecido pela Santa Casa. Mas quero encerrar não é com um recado e sim com um pedido. Gostaria de fazer um apelo ao povo da cidade para que nos ajude nessa nova missão e, a melhor forma de dar essa ajuda, é adquirindo o carnê da doação. Para cumprir todos os nossos objetivos precisaremos, no mínimo, de dobrar o número de contribuintes.

Deixe uma resposta