Bolsa Família registra melhor resultado no acompanhamento da condicionalidade saúde em Alpinópolis

Foto: Ana Nascimento/MDS

O acompanhamento na área da saúde do Bolsa Família teve, no segundo semestre de 2017, um resultado 100% positivo em Alpinópolis. Todas as famílias que tiveram os dados registrados foram integralmente acompanhadas. Na região apenas duas cidades alcançaram os mesmos resultados: Cássia e Conceição da Aparecida. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento Social.

Em Alpinópolis foram 736 famílias que tiveram os dados registrados, incluindo a totalidade dos menores de sete anos e gestantes beneficiárias do programa. Todas as 535 crianças acompanhadas estavam com a vacinação em dia e tiveram os dados nutricionais coletados. Também as 32 gestantes registradas do município realizaram os exames do pré-natal. Dessa forma, o acompanhamento no município atingiu a marca de 100%.

No Sudoeste de Minas apenas Alpinópolis, Cássia e Conceição da Aparecida alcançaram esse aproveitamento de 100%. Em seguida aparecem São José da Barra (99,29%), Pratápolis (98,94%), São João Batista do Glória (96%), Piumhi (93,86%), Fortaleza de Minas (90,91%), São Sebastião do Paraíso (89,53%), Ibiraci (89,49%), Jacuí (89,25%), Guapé (88,35%), Claraval (86,79%), Delfinópolis (86,5%), Carmo do Rio Claro (85,92%), Passos (85,15%), Capitólio (85,13%), Itaú de Minas (83,94%), Bom Jesus da Penha (83,82%), São Tomás de Aquino (79,84%) e Nova Resende (79,11%).

Em Minas Gerais foram 855.241 famílias registradas, com acompanhamento de 713.609, alcançando um percentual de 83,44%. No Brasil foram 10.981.383 famílias registras e 713.609 acompanhadas, o equivalente a 77,47% do total.

As condicionalidades são compromissos assumidos pelos beneficiários do Bolsa Família e permitem o acesso das famílias beneficiárias aos serviços de saúde, melhorando não só a condição das crianças e gestantes atendidas, mas de toda a família, como explica o diretor de Condicionalidades do Ministério do Desenvolvimento Social, Eduardo Pereira. “Quando uma mãe leva a criança para vacinar, por exemplo, ela acaba abrindo a porta para que outros membros da família também tenham acesso a outras informações sobre atenção à saúde e das diversas políticas da área”, afirma.

De acordo com Pereira, as crianças acompanhadas terão condições de superar a situação de pobreza na qual estão inseridas. “Ao estimular o acesso ao serviço de saúde, essas crianças irão se transformar em jovens e adultos mais saudáveis porque tiveram o acompanhamento desde o pré-natal”, completa.

Deixe uma resposta