ASSASSINATO GERA PROTESTO EM ALPINÓPOLIS

O assassinato do comerciante João Batista de Carvalho, o Batista do Bar, de 60 anos, ocorrido na noite de quarta-feira (17) parece ter sido a gota d’água para que o povo alpinopolense se revoltasse e fosse às ruas cobrar providências das autoridades sobre o problema da violência que vem castigando a cidade há algum tempo.

Cerca de 300 pessoas participaram do protesto

O protesto foi pacífico e reuniu cerca de 300 cidadãos em frente ao prédio do fórum municipal na tarde desta quinta-feira (18). Criticando a ausência do prefeito Julio César Bueno da Silva, o Julio Batatinha (PTB), os manifestantes em seguida desceram em cortejo para o prédio da prefeitura municipal passando pela Avenida Governador Valadares e Praça Osvaldo Américo dos Reis.

O ASSASSINATO

Batista do Bar

Por volta das 22 horas desta quarta-feira (17), em um estabelecimento comercial situado na Praça Dr. José de Carvalho Faria, foi executado com três tiros na cabeça o comerciante de 60 anos João Batista de Carvalho, conhecido na cidade como Batista do Bar. Segundo relato de testemunhas, uma motocicleta estacionou nas proximidades do trailer onde funciona o estabelecimento denominado Lanche do Batista no momento em que um grande número de clientes assistia pela televisão a uma partida de futebol. Deste veículo, desceu da garupa um indivíduo de estatura mediana, pardo, trajando um moletom claro e usando capacete, o qual caminhou tranquilamente até a vítima e desferiu contra sua cabeça três disparos de revólver. Após cometer o delito, o autor saiu em desembalada carreira sendo que seu comparsa o aguardava com a moto em funcionamento e ambos evadiram-se do local tomando rumo ignorado. Em seguida compareceu ao local um perito criminal e só então o corpo foi removido para o IML da cidade de Passos. A Polícia Militar foi acionada por volta das 22h35min executando os procedimentos de praxe que foram encaminhados à Polícia Civil para abertura de inquérito e investigação. Até o fechamento dessa matéria ninguém havia sido preso.

O PROTESTO

O crime causou revolta na população que imediatamente aderiu a um protesto organizado pelo Conselho de Segurança Pública de Alpinópolis – CONSEP. Manifestantes portando cartazes e um inusitado caixão, estiveram presentes na porta do fórum local para reivindicar providências do Ministério Público e do Poder Judiciário. Em um carro de som estacionado no pátio diante do prédio os organizadores do evento conclamavam a presença do juiz de direito da comarca Dr. César Rodrigo Iotti para que o mesmo se pronunciasse em relação ao problema. Vários cidadãos usaram da palavra e foi tecida uma longa pauta de reivindicações sobre o impasse da violência na cidade. Foram cobrados mais investimentos em atividades esportivas e culturais, como forma de impedir que jovens se tornem criminosos, e também um aumento no efetivo das polícias civil e militar no município.

Manifestantes cobraram providências das autoridades

Juiz Dr. César Rodrigo Iotti

Após grande insistência do público, o magistrado foi ao meio do povo onde sua presença era solicitada. O discurso do juiz foi objetivo e tratou basicamente de expor os problemas pelos quais passa toda a nação, sendo que a violência não seria algo exclusivo de Alpinópolis. Justificou o criticado processo “prende-solta”, envolvendo menores infratores da cidade, dizendo que isso não é culpa do Judiciário e sim do Estado que não oferece instalações prisionais adequadas para a detenção de menores de idade e lamentou o fato de nada poder ser feito de imediato em relação a isso.

A ausência do prefeito foi muito criticada pelos manifestantes que, após o pronunciamento do juiz, resolveram descer em cortejo até a prefeitura para cobrar providências do Poder Executivo.

NA PREFEITURA

Chegando à sede da administração municipal, os manifestantes depositaram o caixão simbólico diante da porta do prédio e cobraram ações do prefeito. Julio Batatinha, sob vaias intermitentes, primeiramente criticou o caráter político da manifestação dizendo que não havia comparecido ao protesto no fórum por ter sido informado que lá estavam sendo levantadas “bandeiras políticas”. Disse ainda que o problema da violência não é recente e que é realmente muito sério, mas que está fazendo o possível para amenizá-lo.

Muito vaiado, Julio Batatinha recebeu os manifestantes na porta da prefeitura

Ao final o prefeito atendeu um pedido dos manifestantes que solicitaram a produção de um documento que seria enviado às autoridades competentes, cobrando ações efetivas para o município de Alpinópolis. Boa parte dos presentes assinou solidariamente o impresso que, segundo acordado, será devidamente encaminhado aos órgãos governamentais pertinentes.

Deixe uma resposta