Aluna de 60 anos, do supletivo de Alpinópolis, é uma das finalistas do concurso EPTV na Escola

A 21ª edição do concurso de redação EPTV na Escola, disputado entre os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental de cidades com cobertura geográfica da EPTV Sul de Minas, afiliada da Rede Globo, teve entre os finalistas deste ano uma aluna do Centro Estadual de Educação Continuada de Alpinópolis, o Cesec Doutor Hélio Ferreira Lopes, instituição de ensino popularmente conhecida na cidade como supletivo. Todos os alunos finalistas farão uma reportagem em seus respectivos municípios com uma equipe da emissora.

A surpresa é que a finalista alpinopolense é uma jovem senhora, de 60 anos, que voltou a estudar depois de muito tempo longe das salas de aula. Ana Leocádia de Morais Vilela é moradora do bairro Santa Efigênia, porém viveu a maior parte da vida na zona rural. E foi justamente essa história que a inspirou a escrever a redação que faturou o 6º lugar na classificação geral da região, tendo sido selecionada entre 555 semifinalistas de 119 municípios sul mineiros.

O concurso deste ano teve como tema “A tecnologia que melhora o mundo, melhora mesmo a minha vida?” e os demais alunos finalistas são das cidades de Extrema, Divisa Nova, Pouso Alegre, Tocos do Moji, Luminárias, Marmelópolis, Areado e Carmo do Rio Claro.

Dona Ana, como é mais conhecida, escreveu sua redação, baseada no tema proposto, com o título “Do velho ao novo”. O texto da estudante fala de sua vida na roça, onde cresceu e frequentou uma escola improvisada até os 10 anos, época em que precisou interromper os estudos para ajudar os pais na lavoura. Na redação, ela deu detalhes sobre o longo tempo que viveu na zona rural, boa parte dele longe da tecnologia, até chegar às maravilhas tecnológicas oferecidas atualmente, principalmente na área da comunicação, o que a permitiu voltar a estudar aos 60 anos. O desenvolvimento do trabalho contou com a orientação de Adelina Rocha Guimarães Alves Correia, professora de Língua Portuguesa do Cesec de Alpinópolis.

A diretora da instituição, Iraci Nicezio de Barros Storch, comemorou a conquista e exaltou a importância da participação do Cesec neste concurso, do qual ficou de fora por vários anos. “Tentamos por vários anos participar do concurso e não deixavam, diziam que não era concurso para Cesec. De tanto insistir, em 2017, tivemos a primeira participação e já com classificação entre as 10 melhores redações da cidade. O feito desse ano, com a classificação de uma aluna, aos 60 anos, em primeiro lugar na cidade e sexto lugar na região, concorrendo com mais de 8 mil alunos de escolas estaduais e particulares, só vem mostrar, mais uma vez, como sempre insisto em dizer, que a nossa escola, que o Cesec Doutor Hélio Ferreira Lopes, faz mesmo a diferença na vida das pessoas. Não se trata apenas de uma instituição para aqueles alunos que ‘não querem estudar’ e para servidores que ‘não querem trabalhar’, como é visto por muitos”, disse em tom de desabafo a diretora.

A EPTV, que promoverá a premiação deste ano possivelmente de forma remota, em breve começará a realizar a produção da série de reportagens. As matérias serão baseadas nos textos dos alunos podendo ou não haver a participação presencial nas cidades, com atuação dos finalistas, dependendo das normas vigentes na ocasião, devido ao combate a pandemia causada pelo novo coronavírus.

A premiação desta 21ª edição do concurso prevê que cada um dos estudantes, classificados entre a 1º e a 10º colocação, receba um televisor HD. Também serão premiados, com um Kindle (dispositivo para leitura de livros em formato digital) os respectivos professores orientadores. A escola do aluno classificado em 1º lugar ganhará um aparelho de data show e o diretor também receberá um Kindle.

Leave a Reply