Alpinópolis tem saldo negativo na geração de empregos

geração_emprego_negativa_alpinópolis

A geração de empregos no município de Alpinópolis registrou um resultado negativo nos quatro primeiros meses de 2017. O estudo é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que apontou haver decréscimo de 17 postos de trabalho na cidade neste período. Para tanto, o mercado de trabalho alpinopolense se movimentou apresentando 241 contratações e 258 desligamentos no último quadrimestre.

Dentro dessa estatística pôde ser verificado que, dentre os desligamentos, 163 foram relativos à dispensa sem justa causa e 3 com justa causa, 76 a pedido do trabalhador, 16 por término de contrato e 9 por transferência.

Alguns segmentos específicos apresentaram números desfavoráveis compondo, dessa forma, o presente quadro. Dentre eles está o Comércio, com 14 vagas extintas, seguido da Extração Mineral, com 10 postos de trabalho fechados, a Indústria de Transformação, com 13 vagas suprimidas e a Construção Civil, com saldo negativo de 5 vagas.

Por outro lado, algumas atividades tiveram um bom desempenho na oferta de empregos, como setor de Serviços onde mais 20 novos empregos foram gerados e a Agropecuária, que apresentou 6 postos de trabalho criados.

A microrregião de Passos, na qual Alpinópolis está incluída, acompanhou o cenário estadual, que teve saldo positivo, e terminou o quadrimestre com 594 empregos gerados com carteira assinada. Para esse resultado, o mercado de trabalho das cidades da região teve, no geral, 6.343 contratações e 5.749 desligamentos de janeiro a abril. No mesmo período, o estado de Minas Gerais apresentou saldo positivo de 23.652 postos de trabalho, enquanto o Brasil ficou no vermelho, registrando a supressão de 9.020 vagas.